sábado, 4 de agosto de 2012

Estação Ferroviária de Carpina


  Construída pela Great Western e inaugurada em 1881, Carpina era uma das principais estações da Linha Recife a Limoeiro. Foi por muitos anos a estação da bifurcação da linha vinda do Recife (Estação do Brum) que se dividia em um ramal para Nazaré da Mata (posteriormente prolongado até a Paraíba) e a continuação da linha para Limoeiro (mais tarde prolongada definitivamente para Bom Jardim).
  Antes de sua emancipação política, o território carpinense abrangia dois distritos: o de Floresta dos Leões, pertencente ao município de Paudalho, e o Chã de Carpina, integrante do de Nazaré da Mata, separados pelos trilhos da antiga Great Western no centro da zona urbana. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carpina)
  A estação se chamou Floresta dos Leões da sua inauguração até 1938 quando o já município (desde 1928) de mesmo nome passou a se chamar Carpina.
  A chegada da linha férrea foi de grande contribuição para o comércio da localidade. A estação contava com um amplo pátio composto por três desvios, duas plataformas para embarque de passageiros, caixa d’água, armazéns, girador de locomotivas e o prédio principal.
Segundo notícias do Diário de Pernambuco, publicadas no site Estações Ferroviárias do Brasil, em Março de 1980 ainda haviam trens de passageiros para Carpina: o US-21, 23 e 25 de ida e US-22, 24 e 26 de volta, sendo três trens todos os dias nessa época, porém ainda no final de 1980 os trens deixaram de ir até Carpina, chegando apenas até São Lourenço da Mata.
  A linha que cruza Carpina segue para a Paraíba (antigo ramal de Nazaré da Mata prolongado no fim do século XIX) e pertence a Transnordestina Logística (antiga CFN), desde 1997. O ramal para Bom jardim já não tem mais seus trilhos, desativado pela RFFSA na década de 1960. Nos últimos tempos, segundos moradores, raros são os trens cargueiros a passar pela linha. Autos de linha também não são muito frequentes na via que em certos trechos o mato começa a cercar os trilhos. A velha estação meio descaracterizada segue razoavelmente preservada junto com a velha caixa d’água e a plataforma de embarque para o antigo ramal de Bom Jardim.
  Confira a seguir algumas imagens da estação.

A estação de Carpina. (Foto: Arquivo pessoal - Julho de 2010).
Plataforma principal da estação e caixa d'água ao fundo. (Foto: Arquivo pessoal - Julho de 2010).

A plataforma secundária da estação, possivelmente servia a saída para o ramal de Bom Jardim. (Foto: Arquivo pessoal - Julho de 2010).
As duas plataformas. (Foto: Arquivo pessoal - Julho de 2010).

A velha caixa d'água da estação, trazida da Inglaterra. (Foto: Arquivo pessoal - Julho de 2010).
Vagões da Transnordestina Logística parados no pátio da estação. (Foto: Arquivo pessoal - Junho de 2010).

O velho prédio da estação, com mais de 130 anos. (Foto: Arquivo pessoal - Junho de 2010).

Um comentário:

  1. Bonito trabalho de resgate da memória ferroviária de pernambuco. meus parabens
    daniel pereira lopes

    ResponderExcluir